Fechamento mais Completo do Mercado: Bovespa fecha em leve alta de olho em noticiário corporativo e dados dos EUA | Dados da Bolsa

Fechamento mais Completo do Mercado: Bovespa fecha em leve alta de olho em noticiário corporativo e dados dos EUA

(Por Flavia Bohone)

SÃO PAULO (Reuters) – O principal índice da bolsa paulista fechou em leve alta nesta sexta-feira, de olho no noticiário corporativo e digerindo também os dados sobre o mercado de trabalho dos Estados Unidos.

Com base em dados preliminares, o Ibovespa fechou com variação positiva de 0,24 por cento, a 66.935 pontos. Na semana, o índice acumulou alta de 2,2 por cento. O giro financeiro na sessão era de 5,92 bilhões de reais.

Por Infomoney

SÃO PAULO – Após uma sessão de realização de ganhos e muita especulação sobre a força do governo para dar seguimento a agenda  de reformas, o Ibovespa  voltou a subir nesta sexta-feira (4), mesmo que sem muita força. O desempenho ficou próximo do registrado pelos principais índices de Wall Street.

O benchmark da bolsa brasileira fechou com alta de 0,18%, aos 66.897 pontos, com os investidores digerindo, além do movimentado noticiário político, os dados do emprego nos Estados Unidos. O volume financeiro ficou em
R$ 6,488 bilhões. Na semana, puxado principalmente pela empolgação com a vitória de Temer na Câmara, o índice conseguiu fechar com 2,14% de alta.

“Ontem a B3   interrompeu sequência de cinco pregões consecutivos de alta e aproveitou para realizar lucros e ajustar expectativas da votação em plenário da denúncia contra o presidente Temer”, observou Alvaro Bandeira, economista-chefe do home broker Modalmais. Na avaliação do especialista, há espaço para o Ibovespa recuperar o patamar de 67.000 pontos e buscar o nível pré-crise do Friboigate, em 68.500 pontos.

Os contratos de juros futuros com vencimento em janeiro de 2018 fecharam com alta de 1 ponto-baes, a 8,19%, ao passo que os DIs com vencimento em janeiro de 2021 subiram 1 ponto-base, a 9,16%. Já os contratos de dólar futuro com vencimento em setembro deste ano avançaram 0,37%, sinalizando cotação de R$ 3,141, enquanto o dólar
comercial fechou com ganhos de 0,38%, cotado a R$ 3,1254 na venda, com uma leve queda
de 0,32% na semana, sendo o sexto recuo semanal seguido da moeda.

Destaques da Bolsa…

Do lado acionário, os papéis da Petrobras (PETR3 (/PETR3); PETR4 (/PETR4)) fecharam em alta em dia de ganhos para os preços do petróleo no mercado internacional. No radar, a companhia efetuou operação junto ao The Bank of Tokyo-Mitsubishi UFJ através do pré-pagamento de dívida de US$ 333 milhões, com vencimento previsto para 2018, e contratação, simultânea, de novo financiamento de US$ 500 milhões, com prazo vencimento em 2022, disse a empresa, em comunicado ao mercado.

A companhia contratou outro financiamento de US$ 150 milhões com o Banco Safra, também com vencimento em 2022, ambos sem garantias reais. Os recursos líquidos captados com esses financiamentos serão utilizados na execução da sua estratégia de gerenciamento de passivos e que continuará avaliando novas oportunidades no mercado.

Segundo o Valor Econômico, os sócios controladores da Braskem (BRKM5 (/BRKM5)), Odebrecht e Petrobras, trabalham numa grande operação de mercado para a petroquímica, com a transferência da sede da empresa para os Estados Unidos e a abertura de capital com oferta de ações na Bolsa de Nova York.

O plano considera a pulverização do capital da companhia e a rescisão do acordo de acionistas, diz a publicação. Segundo os analistas do BTG Pactual, essa notícia, somada a uma renegociação do acordo de acionistas e um novo contrato, mais longo, de oferta de nafta por parte da Petrobras pode ser um caminho importante para maximizar o valor da venda.

As ações da Vale (VALE3 (/VALE3); VALE5 (/VALE5)) subiram acompanhando os preços do minério de ferro. A commodity negociada no porto de Qingdao, na China, avançou 1,63%, a US$ 74,12 a tonelada, enquanto os contratos futuros do minério negociados na bolsa chinesa de Dailian subiram 1,10%, a 549 iuanes. No radar, a Vale e a BHP continuam os esforços para retomar as operações da Samarco no atual contrato de joint venture e estão considerando grandes mudanças. As duas proprietárias da empresa buscam um novo caminho em que possam comprar a parte uma da outra, arrendando ou vendendo os ativos (/assuntos/ativos), ou ainda mantendo o contrato de titularidade, mas designando um operador, disse o CFO da Vale, Luciano Siani Pires, para a
Bloomberg.

O Globo, por sua vez, informa que começa a ser avaliada na Vale a ideia da companhia fazer uma parceria com o braço de mineração da CSN (CSNA3 (/CSNA3)), segundo fontes ouvidas pelo setor. No foco, estaria a compra de uma fatia ou uma joint-venture com a Congonhas Minérios, subsidiária da siderúrgica que reúne a mina de Casa de Pedra, além de outras duas minas menores (Engenho e Pires), em Minas Gerais, e ativos de logística.

Com dívida líquida de R$ 25,8 bilhões, a siderúrgica vem tentado se desfazer de ativos para levantar recursos. A Vale, por sua vez, teria ganhos de sinergia com a operação, já que a ferrovia e o porto usados para escoar o minério da CSN também são utilizados pela mineradora. A companhia informou em comunicado que não há qualquer deliberação no âmbito dos órgãos de administração da empresa sobre uma eventual compra da mina de
Casa de Pedra.

A JBS (JBSS3 (/JBSS3)) fechou acordo para vender a totalidade de sua participação na Vigor Alimentos para o mexicano Grupo Lala, por um valor de aproximadamente R$ 1,112 bilhão. A JBS tinha 19,43% de participação no capital da Vigor. A JBS vai receber aproximadamente R$ 780 milhões no fechamento da operação. O Grupo Lala é o maior grupo da indústria de lácteos do México e um dos principais das Américas.

O valor de mercado da empresa é de aproximadamente US$ 4,8 bilhões e o faturamento líquido em 12 meses, ao final de junho, foi de US$ 2,9 bilhões. A JBS afirma que pretende utilizar parte dos recursos obtidos com a operação para amortizar dívidas que estão sujeitos no acordo de estabilização fechada recentemente com os bancos.

Do lado dos resultados, a Smiles (SMLE3 (/SMLE3)) registrou lucro líquido de R$ 146,2 milhões no segundo trimestre, uma alta de 18,3% ante o mesmo período do ano passado. A receita líquida, por sua vez, ficou em R$ 441,7 milhões entre abril e junho, crescimento de 26,3% em relação a um ano antes. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês) subiu 32,6%, atingindo R$ 172 milhões, enquanto a margem Ebitda avançou 1,8 ponto percentual, para 38,9%.

Já a Multiplus (MPLU3 (/MPLU3)) fechou o segundo trimestre com lucro líquido de R$ 125,9 milhões, uma queda de 7,7% em relação ao mesmo período de 2016. De acordo com a companhia, o recuo é atribuído principalmente a queda da taxa de juros e a menor receita financeira. O lucro operacional da companhia subiu 0,5% entre abril e junho ante um ano antes, para R$ 147,9 milhões.

 

Links Origanais: http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/6857001/ibovespa-sobe-semana-apos-vitoria-temer-dolar-tem-sexta-queda

https://br.investing.com/news/mercado-de-a%C3%A7%C3%B5es-e-financeiro/bovespa-fecha-em-leve-alta-de-olho-em-noticiario-corporativo-e-dados-dos-eua-505027

 

 

Be the first to comment on "Fechamento mais Completo do Mercado: Bovespa fecha em leve alta de olho em noticiário corporativo e dados dos EUA"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*