Petróleo: panorama da semana de 14 a 18 de agosto | Dados da Bolsa

Petróleo: panorama da semana de 14 a 18 de agosto

Oil pumps are seen in Lagunillas, Ciudad Ojeda, in Lake Maracaibo in the state of Zulia, Venezuela, March 20, 2015. REUTERS/Isaac Urrutia

Investing.com – Preços do petróleo fecharam em alta na última sexta-feira, mas ainda encerraram a semana com perdas em meio a preocupações persistentes com a sobreoferta global.

Além da oferta e da demanda, investidores também acompanhavam de perto os desdobramento no impasse entre EUA e Coreia do Norte.

O contrato com vencimento em setembro do petróleo bruto WTI dos EUA ganhava US$ 0,23, ou cerca de 0,5%, e era negociado a US$ 48,82 no encerramento do pregão na sexta-feira. Mais cedo durante a sessão, caiu para US$ 47,98, menor nível em torno de duas semanas e meia.

Do outro lado do Atlântico, contratos de petróleo Brent com vencimento em outubro na Bolsa de Futuros ICE (ICE Futures Exchange) em Londres avançaram US$ 0,20, ou cerca de 0,4%, sendo negociados por US$ 52,10 o barril no final do pregão.

Durante a semana, o WTI perdeu US$ 0,76, ou cerca de 1,5%, enquanto o Brent perdeu US$ 0,32, ou cerca de 0,6%, em meio a indicações de que os membros da OPEP aumentaram a produção em junho, apesar do pacto atual de reduzi-la.

A Agência Internacional de Energia afirmou que a conformidade da OPEP com os cortes caiu para 75% no mês passado, o menor nível desde o início do pacto em janeiro.

Os dados negativos sobre conformidade surgiram um dia após a OPEP divulgar seu relatório mensal, mostrando que a produção do grupo aumentou ainda mais em junho, conduzida por ganhos na Líbia e na Nigéria, dois membros dispensados dos cortes, e na Arábia Saudita, principal exportador.

A OPEP e outros 10 produtores externos ao cartel, incluindo a Rússia, chegaram a um acordo desde o início do ano para cortar 1,8 milhão de barris por dia da oferta até março de 2018 para reduzir a sobreoferta global e reequilibrar o mercado.

No entanto, até o momento, esse acordo teve pouco impacto nos níveis dos estoques globais devido ao aumento da oferta de produtores que não participam do acordo, como a Líbia e a Nigéria, e ao aumento incessante na produção de shale oil nos EUA.

A Baker Hughes, empresa fornecedora de serviços a campos petrolíferos, divulgou na sexta-feira que sua contagem semanal de sondas de petróleo em operação nos EUA teve aumento de três e chegou ao total de 768 na semana passada.

A contagem semanal de sondas é um barômetro importante para a indústria de extração de petróleo e serve como uma referência para a produção de petróleo e a demanda de serviços de petróleo.

Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), contratos futuros de gasolina com vencimento em setembro avançaram US$ 0,01, ou cerca de 0,6%, e encerraram em US$ 1,613 na sexta-feira. Na semana, fecharam em baixa de 2%.

Contratos de óleo de aquecimento com vencimento em setembro fecharam a sexta-feira em alta de US$ 0,003, ou 0,2%, cotados a US$ 1,634 o galão, encerrando a semana em torno de 0,9% mais baixos.

Contratos futuros de gás natural com vencimento em setembro recuaram US$ 0,002, ou 0,1%, para US$ 2,983 por milhão de unidades térmicas britânicas. Tiveram um ganho na semana em torno de 7,5%, o maior rali de preços em uma semana de 2017.

Na semana a seguir, participantes do mercado prestarão atenção nas mais recentes informações semanais sobre os estoques norte-americanos de petróleo bruto e produtos refinados na terça e na quarta-feira para avaliar a força da demanda do maior consumidor de petróleo do mundo.

Enquanto isso, operadores do mercado também prestarão mais atenção em comentários dos produtores mundiais de petróleo para encontrar mais indicações se eles estão cumprindo o acordo de redução de produção este ano.

Antes da semana que está por vir, a Investing.com compilou uma lista com estes e outros eventos significativos que podem afetar os mercados.

Terça-feira, 15 de agosto

O Instituto Americano de Petróleo, grupo do setor petrolífero, deve publicar seu relatório semanal sobre a oferta de petróleo nos EUA.

Quarta-feira, 16 de agosto

A Administração de Informações de Energia dos EUA deve divulgar seus dados semanais sobre estoques de petróleo e de gasolina

Quinta-feira, 17 de agosto

O governo norte-americano deve divulgar relatório semanal da oferta de gás natural em estoque.

Sexta-feira, 18 de agosto

A Baker Hughes divulgará seus dados semanais sobre a contagem de sondas de petróleo nos EUA.

Be the first to comment on "Petróleo: panorama da semana de 14 a 18 de agosto"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*