Bom dia Mercado: Brasil muda meta fiscal e ganha tempo com S&P | Dados da Bolsa

Bom dia Mercado: Brasil muda meta fiscal e ganha tempo com S&P

Por Josue Leonel, Vinícius Andrade e Giulia Camillo

(Bloomberg) — Revisão da meta fiscal de 2017 e 2018 para – R$ 159 bi não surpreende mercado, que antecipou reação positiva na véspera. S&P retira Brasil do watch negativo colocado após delação da JBS e que trazia ameaça de rebaixamento iminente, diante da sobrevivência de Temer, mas mantém perspectiva negativa devido à dívida crescente. CSN atrasará balanço. Agenda local traz IGP-10, IPC-S, dado de serviços e prévia do Ibovespa.

Sentimento positivo no exterior predomina. Ações europeias sobem, com mineradoras entre destaques, após dados apontando crescimento no continente, enquanto mercado espera ata do FOMC.

Agenda nos EUA ainda traz dados de moradias e estoques de petróleo. Dólar cai ante pares do real e petróleo sobe.

Às 7:30, este era o desempenho dos principais índices:

* S&P 500 Futuro +0,2%

* FTSE 100 +0,7%

* CAC-40 +1,1%

* Nikkei 225 -0,1%

* Shanghai SE Composite -0,2%

* MSCI World +0,2%

 

Internacional: Expectativa de crescimento impulsiona bolsas

* Ações europeias e S&P futuro sobem após dados em países europeus como Itália e Holanda apontarem crescimento, na sequência de dados do varejo também positivos nos EUA e Brasil divulgados nesta terça-feira

* Yields dos treasuries e títulos europeus sobem antes da divulgação da ata do Fomc de 26/julho, 15:00

* Dólar tem desempenho misto e recua discretamente ante pares do real como rand e peso mexicano

* Petróleo interrompe queda de 2 dias com API apontando baixa de estoques antes de dados do DOE; metais sobem em Londres

 

Para Acompanhar: Reações à nova meta fiscal; S&P retira watch negativo

* Mercado deve reagir à revisão da meta fiscal de 2017 e 2018, anunciada na noite desta terça pelo governo, após vários adiamentos

** Governo também postergou reajuste de servidores e anunciou outras medidas

** Meta fiscal do governo central para 2019 passa para déficit de R$ 139 bi, ante meta anterior de -R$ 65 bi, enquanto meta para 2020, que era de superávit de R$ 10 bi, passa a déficit de R$ 65 bi

* NOTA: Ontem, mercados melhoraram com expectativa de que governo conseguiria evitar aumento maior da meta, para em torno de -R$ 170 bi

* Para não se indispor com mercado, Temer vetou deficit maior:

Folha

* Meirelles explicou que projeção do PIB de 2018 caiu de 2,5% para 2%; receitas e arrecadação decepcionaram, disseram Meirelles e Dyogo de Oliveira, do Planejamento, ao anunciarem revisões das metas fiscais para 2017, 2018, 2019 e 2020, todas piores do que metas anteriores

* Meirelles falou com agências de risco para que evitem ao menos um trimestre para cortar rating, diz painel da Folha; também para conter danos, falou com principais bancos, diz jornal

* S&P decidiu tirar a nota soberana do país de CreditWatch negativo diante do cenário político parecer mais estabilizado após Temer sobreviver ao processo do TSE em junho e do Congresso em agosto, segundo S&P

** Perspectiva negativa é mantida e reflete desafios políticos em curso e risco de um downgrade nos próximos seis a nove meses

– dado o alto e crescente fardo da dívida do Brasil

* NOTA: Em maio, quando colocou Brasil em watch negativo e país vivia turbulência pós-JBS, a S&P explicou a medida como risco de país ser rebaixo em três devido à dinâmica política

 

Outros destaques: Cade, Ibovespa e fluxo

* Cade realiza sessão que tem entre as pautas julgamento sobre caso Itaú/Citibank, Brasília, 10:00

* BC divulga fluxo cambial semanal, 12:30

* Vencimento de opções sobre Ibovespa na B3, São Paulo

* B3 divulga 2ª prévia da nova composição do Ibovespa

* Ilan: Comportamento da inflação permanece favorável

** Até o momento, efeitos de curto prazo da incerteza quanto às reformas e ajustes na economia não são inflacionários nem desinflacionários

** Taxa de juros real de 3,0% a 3,3% é baixa do ponto de vista histórico brasileiro e tende a estimular a economia

** É necessário manter esforços de reduzir a taxa de juros estrutural

 

Economia:

* 8:00: IGP-10 FGV m/m ago, est. -0,05% (ant. -0,84%)

* 8:00: IPC-S FGV 15/ago, est. 0,40% (ant. 0,41%)

* 9:00: Volume de serviços IBGE jun, est. -3,9% (ant. -1,9%)

* 9:30: Início moradias EUA jul, est. 1,22 mi (ant. 1,21 mi)

* 11:30: Estoques petróleo EUA 11/ago, est. -3 mi (ant. -6,45

mi)

 

Empresas: CSN, Cemig, Petrobras, Petrobras, AES Elpa, OGPar

* CSN não vai entregar balanço 2T17 no prazo previsto

** Cia. disse que ainda está trabalhando com auditores externos para concluir revisão das demonstrações financeiras do exercício 2015, bem como para fechamento do exercício encerrado em

31/dezembro/2016

* Petrobras: Produção de petróleo e gás natural em julho foi de

2,74 mi boed

** Estatal aumenta preços do GLP industrial e comercial em 7,2%

** Para ampliar arrecadação, governo quer leiloar sobra de petróleo do pré-sal cedido à estatal: Globo

* Cemig: Meirelles diz que leilão está mantido

** NOTA: Governo espera arrecadar R$ 11 bi com leilão, segundo relatório de receitas e despesas da União

* Estácio decide não buscar ‘por ora’ reparação por erros contábeis

* Marcopolo é elevada de underweight para overweight pelo JPMorgan

* Metal Leve é rebaixada de overweight para neutra pelo JPMorgan

* OGPar: Márcia Mainenti renunciou à diretoria financeira; Paulo Narcélio Amaral vai acumular presidência e diretoria financeira

* Sabesp é elevada de neutra para compra por Janney

* Triunfo: Cade aprova alienação de participação na Portonave

* Brasiliana estuda pedir cancelamento de registro da AES Elpa

 

Mercado de 15/agosto: Dólar cai com meta sendo definida na terça-feira

* Bolsa: Ibovespa reduz movimento de alta ao longo do pregão, mas tem 3ª alta seguida, sobe 0,1% e mantém os 68.000 pontos, com Kroton e B3 liderando principais ganhos em pontos. +0,1%,

68.355,13 pontos

* Juros: Taxas dos contratos futuros de juros fecharam perto da estabilidade, à espera de anúncio de meta fiscal. Jan/21, -1 ponto, 9,38%

* Câmbio: Dólar recuou abaixo de R$ 3,17, com mercado reduzindo excesso de proteção após definição sobre momento de anúncio da meta fiscal e com confiança de que déficit ficará abaixo de R$

170 bi. -0,6%, R$ 3,1702

 

Governo:

* Temer reúne-se com ­Helder Barbalho, min. da Integração Nacional, 10:30, participa da cerimônia de Assinatura do Decreto que Reconhece os Supermercados como Atividade Essencial, 11:00, e da abertura da conferência anual do Banco Santander, em São Paulo, 15:00

* Meirelles visita a redação da revista Época, São Paulo, 15:30, em seguida visita redação da revista Veja, São Paulo, 17:00­

** Ana Paula Vescovi, secret. do Tesouro, tem reunião com economista-chefe do banco Safra, Carlos Kawall, 10:00, e com conselho da Caixa, 14:00

* Ilan tem reunião com Meirelles, com secretário de assuntos internacionais da Fazenda, Marcelo Estevão, com deputados federais Valdir Colatto – PMDB/SC, Marcos Montes – PSD/MG, Luiz Carlos Heinze – PP/RS, Sérgio Souza – PMDB/PR, Osmar Serraglio – PMDB/PR e Tereza Cristina – PSB/MS; e com executivos da Organização das Cooperativas do Brasil, em Brasília

 

Eventos corporativos e conferências:

* Labace (Executive Aviation Fair) 2° dia, São Paulo, 8:00

* Copel: Reunião com analistas e investidores, Rio, 8:30

* Cesp: Teleconferência de resultados em português e inglês,

11:00

* Cemig: Teleconferência de resultados em português e inglês,

12:00

* Braskem: Teleconferência de resultados em português, 13:00, e inglês, 14:30

Be the first to comment on "Bom dia Mercado: Brasil muda meta fiscal e ganha tempo com S&P"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*