Vale não é só o ferro, investidor precisa acompanhar a sílica, diz Citi | Dados da Bolsa

Vale não é só o ferro, investidor precisa acompanhar a sílica, diz Citi

Cranes unload iron ore from a ship at a port in Rizhao, Shandong province February 7, 2015. China's exports declined 3.2 percent year on year to 1.23 trillion yuan (200 billion U.S. dollars) in January, customs data showed on Sunday. Imports stood at 860 billion yuan, down 19.7 percent, according to the data, Xinhua News Agency reported. Picture taken February 7, 2015. REUTERS/China Daily (CHINA - Tags: BUSINESS POLITICS COMMODITIES) CHINA OUT. NO COMMERCIAL OR EDITORIAL SALES IN CHINA

Money Times – O investidor precisa acompanhar mais de perto a concentração de sílica no minério de ferro vendido pela Vale (SA:VALE3) e no desconto que isso pode trazer ao produto vendido pela mineradora, avalia o Citi em um relatório enviado a clientes.

“Os descontos para a alta concentração de sílica são negativos para as mineradoras brasileiras, incluindo a Vale. A atual penalidade para a sílica poderia compensar aproximadamente 40% o benefício que a Vale tem do prêmio de preço para o minério de ferro”, explica o analista Alexander Hacking.

Segundo ele, os investidores precisam ajustar as expectativas para os preços realizados no terceiro e quarto trimestres de 2017. O analista alerta que o índice do minério com 65% de concentração está relativamente ilíquido e a Vale ainda está em processo de captura de prêmio.

“O índice de preço de minério de ferro a 65% de concentração está negociando a US$22/tonelada acima do índice de 62%. Isto implica que o prêmio para o minério da Vale de Carajás (66%) está agora em aproximadamente US$30/t (ou cerca de US$ 7 para cada 1% extra de concentração de ferro)”, explica Hacking.

Para o Citi, o benefício anualizado para a Vale poderia ser de em torno de US$ 2,1 bilhões versus o primeiro semestre de 2017. “A Vale está trabalhando para capturar estes prêmios através de contratos de venda, mas está incerto o quão longe deste processo eles estão atualmente”, mostra o relatório.

Sílica

O Citi avalia que os descontos para Sílica se elevaram para US$3 para cada 1% acima de 4,5% e US$6 para cada 1% acima de 6%. “Isto é negativo para o minério de ferro do sul, da Vale, que geralmente possui níveis de sílica acima da média (de 6 a 7% estimados)”, pontua o banco. Com isso, o impacto negativo sobre a mineradora poderia ser de US$ 900 milhões na comparação com o primeiro semestre.

Desta forma, o valor compensaria em 40% os benefícios dos maiores prêmios do ferro. “A Vale está tentando mitigar este problema com o fechamento de minas com alto sílica (19 milhões de toneladas descontinuadas para o segundo semestre de 2017) e a mistura de alto sílica com o minério de Carajás”, aponta Hacking.

A recomendação é de compra, com um preço-alvo de R$ 35,20.

Por Money Times

link original:https://br.investing.com/news/mercado-de-a%C3%A7%C3%B5es-e-financeiro/vale-nao-e-so-o-ferro-investidor-precisa-acompanhar-a-silica-diz-citi-511144

Be the first to comment on "Vale não é só o ferro, investidor precisa acompanhar a sílica, diz Citi"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*