Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta segunda-feira

Investing.com – Confira as cinco principais notícias desta segunda-feira, 11 de março, sobre os mercados financeiros:

1. Ações da Boeing preparadas para o dia difícil

As ações da Boeing estarão em foco depois que um 737 Max 8 plane operado pela Ethiopian Airlines caiu pouco depois de decolar da capital de Adis Abeba no domingo, matando todas as 157 pessoas a bordo.

O acidente renova questões de segurança sobre a versão mais recente do popular avião 737 da Boeing. Veio menos de seis meses depois de um acidente fatal envolvendo um jato novinho em folha idêntico na Indonésia.

Em resposta ao acidente, a autoridade de aviação civil da China ordenou que todas as companhias aéreas chinesas mantivessem no chão temporariamente suas frotas de Boeing 737 Max 8.

O 737 MAX da Boeing é a mais nova versão do avião mais vendido da história. O Max é uma parte central da estratégia da Boeing para capturar o máximo possível da demanda crescente de aviões, a maioria dos quais vem da Ásia.

As ações da Boeing (NYSE:BA) caíram cerca de 9%, para US$ 384 nas negociações antes do pregão, às 7h35. Ações da fabricante de aviões americana ganharam 31% este ano, tornando-se o melhor desempenho de todos os componentes da Dow.

2. Futuros do Dow apontam para uma queda de três dígitos

Mercado futuro dos EUA apontam para uma abertura majoritariamente mais baixa no início da semana de negociação, com contratos futuros no índice Dow Jones Industrial Average – no qual a Boeing tem o maior peso – apontando para uma perda de três dígitos.

Às 06h30, o índice blue chip futuros do Dow recuava 182 pontos, ou cerca de 0,7%. Os futuros para o S&P 500 e o Nasdaq foram pouco alterados.

Enquanto isso, as ações europeias estavam ligeiramente maiores, com a conversa de uma fusão entre o Deutsche Bank da Alemanha (DE:DBKGn) e Commerzbank (DE:CBKG) levantando o castigado setor bancário. Os recursos pesados do FTSE de Londres, subiram 0,8%, superando seus pares da zona do euro graças aos preços mais fortes do petróleo.

Mais cedo, bolsas asiáticas fecharam em diferentes direções, mas as ações da China continental se uniram na esperança de mais políticas de apoio para a desaceleração da economia.

3. Vendas no varejo dos EUA

O Departamento de Comércio divulgará dados de janeiro sobre vendas no varejo às 10h30 da próxima segunda-feira.

O relatório poderá fornecer um senso de direção mais claro para a economia após um relatório de emprego misto na sexta-feira que mostrava sólido crescimento salarial e queda no desemprego, embora o número de folhas de pagamento não-agrícola tenha caído muito abaixo das expectativas com meros 20 mil empregos.

A previsão consensual é de que o relatório, atrasado em cerca de três semanas devido à paralisação do governo americano, mostrará que as vendas no varejo foram estáveis, após uma queda de 1,2% em dezembro, o maior declínio desde Setembro de 2009.

Excluindo o setor automotivo, espera-se que as vendas tenham aumento de 0,4%, recuperando-se de uma queda de 1,8% no mês anterior.

Vendas no varejo crescentes com o tempo estão relacionadas com crescimento econômico mais forte, ao passo que vendas fracas sinalizam economia em declínio. Os gastos dos consumidores são responsáveis por cerca de 70% do crescimento econômico norte-americano.

View image on Twitter

View image on Twitter

Jesse Cohen@JesseCohenInv

U.S. retail sales data for January due at 8:30AM ET highlights a busy day on the economic calendar.

The numbers take on added significance, particularly after a recent batch of disappointing data showing that both consumers and businesses have pulled back.$USD $DIA $SPY $QQQ

3

5:52 AM – Mar 11, 2019
See Jesse Cohen’s other Tweets
Twitter Ads info and privacy

4. Powell não está com pressa para mudar a política

O presidente do Fed, Jerome Powell, disse no domingo que o banco central americano “não sente pressa” em mudar novamente o nível das taxas de juros, uma vez que observa como uma desaceleração da economia global pode afetar as condições internas nos EUA.

As taxas são atualmente “apropriadas”, disse Powell em entrevista ao programa de notícias 60 Minutes, da CBS, no qual ele classificou o atual nível de juros de “neutro”, o que significa que não está estimulando a economia nem retendo-a.

A entrevista abordou uma série de questões, incluindo a saúde do sistema financeiro, o impacto da crise de opiáceos na força de trabalho e as agressivas críticas do presidente Donald Trump aos aumentos das taxas do banco central.

Em relação ao presidente, Powell disse que não achava que Trump, por lei, tivesse o poder de demiti-lo devido a uma disputa política.

5. Arábia Saudita vai estender cortes de produção de petróleo

A Arábia Saudita planeja cortar suas exportações de petróleo em abril para menos de 7 milhões de barris por dia (bpd), mantendo sua produção “bem abaixo” de 10 milhões bpd, disse uma autoridade saudita na segunda-feira. em um esforço para drenar um excesso de oferta e apoiar os preços do petróleo.

O reino concordou com 10,311 milhões de bpd como sua meta de produção sob um acordo de corte de oferta liderado pela OPEP.

A OPEP e outros produtores como a Rússia, coloquialmente conhecida como OPEP+, concordaram em dezembro em reduzir a oferta em 1,2 milhão de bpd a partir de 1º de janeiro por seis meses.

Os contratos futuros de petróleo Brent estavam cotados a US$ 66,23 por barril, um aumento de 49 centavos, ou cerca de 0,75%, enquanto os contratos futuros do petróleo bruto West Texas Intermediate subiram US$ 0,42, ou cerca de 0,7%, para US$ 56,48 por barril.

– Reuters contribuiu com esta reportagem

 

fonte:https://br.investing.com/news/economy-news/fique-por-dentro-das-5-principais-noticias-do-mercado-desta-segundafeira-638601

Be the first to comment on "Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta segunda-feira"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*